Ingratidão

Muito poucas vezes pensamos, e elogiamos, o reverso. Embora o reverso seja tão importante como a boa-aventurança para o nosso crescimento, para o acrisolar da alma. É na alteridade que o pensamento, e a vida, se tornam férteis. Certa vez, na televisão, e a propósito de alguma reportagem versando não sei o quê, uma senhora com rosto danado e mal-amado repetia, à pergunta sobre o que achava da vida, Isto não presta para nada. Ao que o jornalista, surpreendido pela resposta nada usual, pergunta de novo com uma nuance 'mas', e ela, enfática e melancólica, Para nada. Assim, sem pudores, poeiras, ou medos de um castigo divino.

Nos piores momentos, aquelas palavras da senhora acompanham-me, afundando-me. Também temos o direito a ser ingratos, inquisitivos, também temos o direito a comprar um Golden Pass infernal. Nós, mais do que ninguém.

Sem comentários:

Enviar um comentário